Páginas

quarta-feira, 18 de maio de 2016

MENINO INVENTIVO.


Por: Carlos Grison.

Guardo ingenuamente a esperança
A esperança de que ainda exista
Mesmo que muito bem espalhado por aí
Alguém que seja safo de mentir e ainda acredite na alma humana

Para isso me torno criativo
Menino inventivo de falsos personagens
Personagens esses que quando cumprimentam se
Ainda se olham ainda se falam

Enquanto o mundo a minha volta nega meu suplicio
Açoitando com a poluição dos olhares que sem eira nem beira
Desacreditam de minha boa vontade
E o meu bom dia e o meu bom  boa tarde tornam-se apenas gestos mudos

Inclusive tornam-se gestos dignos de olhares desconfiados
Acirrados e atentos a qualquer movimento de mal intento
Enquanto eu ali com tanto zelo
Protejo o menino inventivo e ainda acredito
Naquele bom dia leve naquela boa tarde breve
No aperto de mão sincero e também no sorriso legítimo

2 comentários: