Páginas

domingo, 7 de outubro de 2012

Perdido.



Procuro me encontrar...
Mas vivo tão bem perdido.
(Nesse caso... A imagem fala inúmeras vezes melhor que a frase!)

Óde a Samarina.

Essa é a música nova que está no site

Ke-mo sah-bee e as Suas Histórias Cantadas!

O link para escutá-la é esse aqui   http://tramavirtual.uol.com.br/musica/tocar/385134/

Essa música arremete aquele sentimento que temos por alguém que amamos muito e só queremos dizer que esse mesmo seja feliz e mais nada!! Sendo que sendo feliz temos tudo! É o que desejo a senhoríta Samarina! O meu mais amado sorriso!

Se vocês me permitirem, gostaria de postar mais de minhas músicas por aqui. Agora estou conseguindo equalizar melhor os últimos sons, já que os gravo em condições arcaicas. No mais... Com vocês:

Óde a Samarina.

Vem correndo vem brincar
Vem correndo vem brincar
Hoje tem ciranda tem brincadeira de roda

Vista a roupa de bailarina
Traga a vara de feiticeira (eu falava que era vara e ela dizia: Varinhaaaaaaaaaaaaaaaa!)
Hoje tem nariz vermelho brincadeira o tempo inteiro

Hoje é dia de dança
Hoje é dia de canto
Vem correndo pra alegrar
Vem correndo pra dançar

Hoje é o dia
Mais feliz da sua vida
Todo o dia é sempre mais feliz Samarina

Tem origami tem balão
Biboquê e bambolê
Vem correndo celebrar
Vem pra cá brincar

Carrossel roda gigante
Tem girafa e elefante
Hoje tem de tudo
No picadeiro da imaginação
 
Hoje é o dia
Mais feliz da sua vida
Sempre é o dia
Mais feliz da sua vida

Seja então feliz Samarina

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Porta Retratro II.





Pode entrar

A porta agora esta aberta

Lamento informar que o procuras já foi

Partiu

 

Em um impulso inexplicável

Aquele porão onde as cousas todas eram guardadas

Foi simplesmente limpo

Esvaziado de um dia para o outro

 

Impressionante como os ares tomam rumo sem aviso

E assim tinindo em ventos

Resplandece então a vontade de abrir caminho a luz

O porta retrato se foi

 

Foi se junto com as estantes velhas e os talheres de prata sem valor

Aqui ficou apenas o espaço aberto para o novo

O espaço para o riso o novo começo

Ficou a vontade de um novo berço

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Mendazes.




 
Mendazes loucos caluniosos
Laranjas limonadas deliciosas
Dizia ele vendo a televisão
Com o livro na mão
 
Vergonha
É a fera que lhe assola
Ao saber que é a bola a padroeira incontestável
Desse chão que ainda é nuestro
 
Não é que não ache bonito
Pelé Garrincha e Zíco
Mas é ironia que haja mais pelota no pé
Do que livro na mão
 
Sem escrúpulos mendazes loucos caluniosos
São laranjas limosinados com seus lustres luminosos
Eles já envaidecidos  acham tão lindos
Os Pelés Garrinchas Zícos
 
Mendazes...
 
 
 

 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sejam Bem vindos!!!!







Um forte e caloroso gríto de boas vindas para os novos deunatelianos: Paula Fernanda, Criticizing e Branco!!!

QUE TODO O TIPO DE MAU E MAL TENHAM PAREDES DE ISOPOR.

Bôbo por Bôbo


 
 
Bôbo por Bôbo sou pedra

Bôbo por Bôbo sou mar

Bôbo por Bôbo na espera

Bôbo por acreditar

 

Bôbo por Bôbo sou vela

Bôbo por Bôbo sou lar

Bôbo por Bôbo sem pressa

Bôbo por Bôbo a chorar

 

Bôbo por Bôbo quimera

Bôbo por Bôbo a esperar

Alguma louca Boba

Que sonhe com um Bôbo como eu

 

E assim...

Vou me bobeando

Sempre a cantar

Bobo no ar

Bobo a esperar

Bobo por acreditar

Bobo a cantar

 

sábado, 25 de agosto de 2012

Porta Retrato.



 
Foi
Nem vi
Parece que ainda está aqui
Que ainda posso tocar  

Sei não
Mas acho que o porão ainda anda repleto daqueles móveis velhos, antigos
Também nem sei se quero limpar
Ou me desfazer deles 

É
Talvez os deixe ali um tanto bom a mais de tempo
Afinal eles me foram tão úteis enquanto usados
E agora os vendo ali “usados” me atento aos detalhes do passado 

Cada lembrança uma história
Cada história um sentimento
Para cada sentimento um sujeito
E para tantos apenas uma história com amor  

É incrível
É impressionante
Que de todos esses móveis estantes tapetes cômodas acomodadas no porão
Seja um pequeno porta retrato vazio que esmoreça meu coração
 

Fito o olhar ao chão
Lento e relutante fecho a porta calmo com a respiração ofegante
O porão ali eu lacro
O tranco por mais um tempo
Até que a imagem do porta retrato vazio
Suma de vez de minha imaginação

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Aguardando.



As palavras me fugiram
Não a rimas os assuntos todos se foram
Esquisito...
Eu que tenho tanto a escrever

Mas por aí vai
Fico aqui sentado
A esferográfica uma hora como antena
Capta alguma coisa no ar

E aí sim acontece alguma coisa com esse papel em branco
Nasce algum poema
Talvez nasça uma canção
Ou simples verso para acalmar o coração

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Vagarinho.



Eu quero ver a gente bem pertinho
Você e eu dançando vagarinho
Não importa onde esteja eu sei que é certo
O importante é ficarmos por perto

Não quero ficar sem você um instante
Repito isso com alto falantes
Farei então uma declaração
Pra vagarinho conquistar teu coração

Não interessa o tempo que leve
É vagarinho para que não seja breve
Não interessa que me descabele
O importante é que não seja breve

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Vamos Todos Juntos.




Vamos vamos todos
Vamos nos acordar
É mais um dia que nasceu para brilhar
Vamos vamos lá
Não parem de acreditar
É mais um dia para tornarmos os sonhos reais

Vamos sem ter pressa
Vamos devagar
Sem ter medo para podermos aproveitar
Esse dia bom que nasceu para brilhar
Vamos todos juntos
Construir os sonhos

Vamos sem ter pressa
O dia já brilhou
Vamos todos juntos atrás dos sonhos meus irmãos
Vamos com cautela para não afugentar
Os que estão desconfiados
Que os seus sonhos não poderão se realizar

sábado, 14 de julho de 2012

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Latino! Para Desespero da Vó Galdina!



Depois de acompanhar a evolução do que eu chamava de música ruim nos idos de 1995 até hoje, nesse final de semana pela primeira vez consegui comprovar uma de minhas teorias sobre um cantor latino americano que tem dinheiro no bolso, não sei se tem parentes importantes e nem sei se veio do interior. O senhor em questão é o tal do Latino... Sim... O cara que “canta” a tal da dança CU DURO.
Durante um programa da idolatrada e maioral EMISSORA PLIM PLIM, exibido pelo Dr. Serginho Groisman que, diga-se de passagem, foi e é um apresentador de uma ética “fora de séria pra lá de metro”, (como dizia o ditado da vó Galdina), o “cantor” e “compositor” latino mostrou se um rapaz ao meu ponto de vista, que não entende que como ícone de uma febre que já  é depreciativa, (Fala sério!? Cu duro????? Cadê a censura do país canarinho?), perdeu uma grande oportunidade de se mostrar uma pessoa bacana, com esclarecimento e não só se mostrar aquele cara sensacionalista, sempre atrás do estilo musical do momento sem caráter como um FOGUETE POP STAR sem regras, seguindo o caminho que estiver embalando mais a balada badalada do brasileiro! Um legítimo produto do mercado fonográfico, se me permitem assim dizer e que é pesado e medido com a roupa da grife cara e a música de embalagem barata e mensagem leviana que só tem como objetivo febril embalar o corpo alienado e alienando, engordar a conta no banco e fazer com que eu torça meu nariz.
Pois bem.
No programa em questão Serginho estava perguntando aos seus entrevistados quais os esportes que eles praticavam, encerrando um assunto sério sobre concentração e a beneficies que o mesmo exerce em nossas vidas. Ao perguntar ao cantor o esporte que ele pratica o intrépido cowboy das ondas do rádio e da TV respondeu com seu Ray Ban mirando o apresentador!
- Eu hã... Eu pratico SEXO! (Foram segundos de um silêncio absurdo).
O apresentador olhou aquilo e pode se notar o desespero no olhar do mesmo!
Como pode um cara que esta em um programa televisivo cantando a tal música da moda Cu Duro, que para mim já seria uma vergonha, (Vai ver é por isso que usa aqueles óculos enormes... Esconder um pouco a face...), se mostrar totalmente sem conteúdo, não ter mensagem alguma para NADA?
E não foi só nesse momento meu “polvo” e minha “póva”, durante o programa o “profissional” em questão mostrou se desinteressado por seus músicos, sem vínculo algum com aqueles que estavam mostrando a sua “arte”, (por que minha avó diria: - Mas que arte é essa Latino? Limpa isso agora! Pode fazer uma música agora mesmo pedindo desculpas e prometendo fazer uma música decente para o próximo embalo mais embalado dos embalos das boates da noite!), nem sabendo o nome de seus parceiros de palco! O que prova que existe sim aquele ser alienado que vemos em filmes Hollywoodianos, criados por empresários que só conseguem enxergar o visual e o saldo de suas contas bancárias!
O “músico” latino é o resultado da indústria da música pré-pró-pós-fabricada para cimentar ainda mais a alienação de um povo que trabalha durante toda uma semana, assiste a novelas para a projeção de uma realidade que não possuem e ao chegar o final de semana se acaba de tanto dançar ao embalo de CU DURO!
Mas o que me preocupa não é quem escuta a música. O que me preocupa não é quem está no palco! O que me preocupa não é o Latino.
O que me preocupa é saber que existe uma indústria que promove algo totalmente sem sentido. Uma arte que não carrega mensagem alguma a não ser a banalização de sexo, rebola aqui e rebola lá!
Para mim é inconcebível saber que o cara que está ali dançando e “cantando” essas músicas não enxergue o quanto ele é plástico, sem conteúdo! Talvez daqui a alguns anos com uma idade mais avançada ele veja que sua atitude não serviu de exemplo positivo para pessoa alguma!
É triste! Muito triste! (Como diria meu amigo Iskéhome).
No mais... Senti pena do apresentador e de quem estava lá assistindo ao vivo e na telinha como eu...
Mas esse...
É assunto para outra postagem!
Mas e aí?
Qual esporte você pratica mesmo?

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Cuco.



Cuco
Sempre que eu acordo eu escuto um cuco
Que pesa a cabeça e me funde a cuca
Esquentando o forame dessa coluna oculta
Que termina na cintura e começa na nuca

Cuco
Sempre que eu perambulo eu escuto um cuco
O que me funde a cuca com tanto lenga lenga
Pesando os joelhos dessa costa imensa
Suando a pestana e a testa que aumenta

O cuco encuca
Quando eu transito presenciando absurdos
Que são abomináveis e não cabem na cuca
Alterando as meninges abalando o atlas
Alargando os forames dessa nuca árida

Eu escuto cuco
Atrapalha-me a cuca
Pesa-me a nuca
E o cubo que me rende e estende o corpo na sala
me encuca

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Solidão.


Fechado
Abriu concordata
Não importa mais
Ele agora vai “ostrar”

Fechado
Sentimento estatelado
Não achou alguém
Por isso vai “marear”

Fechado
Sem indício de reabertura
Não deixou testamento
Vai desaparecer

Coitado
O coração dilacerado
Sofrendo solitário
Agora vai desaparecer

É uma pena
Uma pessoa tão querida
Merecia em sua vida
Muito amor para receber

No entanto
Com tanto desencanto
Virou as costas para o mundo
Sozinho vai viver

Permanente!




Se é permanente...
Por que o permanente acaba?

sábado, 30 de junho de 2012

Frase Curta III.




Por: Carlos Grison & Pablo Ibañez.

"Eu que sempre quiz ser destemido, ser um herói...
  Hoje sinto-me um Tonto.
  Ando mais "pra" Silver do que "pra" Zorro!"

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Indo na Calma.

 

 



Vamos com calma

No jeito sem ter pressa

Ninguém merece

Sofrer essa pressão

Vamos com calma

Com jeito na manha

Ninguém produz

Na pressão com pressa

Vamos andando

Na lenta lentidão

Curtindo o visual

Do caminho que passarmos

Vamos curiosos

Esclarecendo a visão

Sem forçar

O entendimento da razão

Sem ter pressa então vamos chegando lá

Memorizando o caminho que passamos

Não se esquecendo dos tombos que levamos

E dos amigos que no caminho colecionamos

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Eis Que a Profecia se Cumpre!




Dizia a profecia da anciã Teliana Telha Quebrada:

“... E ele chegará enaltecendo a cevada, os telões de cinema e os destilados que nos impulsionam vida adentro! Ele será também, detentor do número mágico! 51! O número das tangentes do destino daqueles que repousam em galões, jarros, pipas e poltronas de cinemas..."

Deunatelianos e Deunatelianas de plantão!!!
Hoje venho por meio deste agradecer ao quinquagésimo primeiro deunateliano que se uniu a nossa página onde as telhas tortas nos protegem!!!
Ele é o nosso amigo Marcelo Carreira!!! Dono da posição 51!!! O número mágico deste blog que não tem rumo nem regras!!!
Seja bem vindo ó iluminado do número 51!!!!
E obrigado pelo apoio que tem dado a esse espaço internético!!!
Abração a você e a todos que tem visitado o Blog Deu Na Telha Ta dentro!!
Cada vez mais cresce o número de visitações e espero que essas escritas não sejam apenas um desabafo da pessoa que vos escreve e que de alguma forma inspire algo de bom em cada um de vocês, tanto nas postagens sérias como em nossas brincadeiras!
Obrigado a todos!!!
Carlos Gaúcho!      

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Frase do Ano!

Por: Marcelo Carreira.
Contribuo fortemente para o enriquecimento das indústrias cervejeiras, de destilados e a indústria cinematográfica.
E só me ferro com isso!
Já imaginaram se me dessem incentivo como seria?


segunda-feira, 18 de junho de 2012

Amor Próprio II.



Calma
Às vezes a vida parece embaralhada mesmo
E por mais que saibamos jogar o jogo nos perdemos
E confundimos nossos sentimentos
Todas as nossas sensações

Tenha calma
Não esmoreça esse teu rosto que é tão belo
Tente lembrar-se das coisas e das pessoas boas a tua volta
Tente aprender com o passado que a moldou
E te tornou essa pessoa boa que conheço

Eu sei que essa tristeza às vezes chega para qualquer um
Acredite quando eu afirmo que ela é passageira
Então não cometa a besteira de não acreditar
Na pessoa do outro lado do espelho
Ela sempre estará ali por você

Então mande essa tristeza embora
Não sofra assim minha cabrocha 
Aquele que vive no desespero que só ignora a dor
Cai em pranto aquele que respeita os sentimentos
E assim a pessoas vão vivendo

Saia então agora dessa densa névoa
Que te atrapalha e não deixa ver
As pessoas maravilhosas perto de você
Levanta agora esse véu de tristeza
Que te atrapalha e não te deixa ver
Que existem pessoas que amam você

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Vem Logo!


Dedicada a minha querida Gertru!


Você não chega
Maltrata meu coração
Você não sabe o quanto eu preciso de você
E nem uma resposta nem um postal falando da tua chegada

Quando eu lhe vi tive certeza
De que o nosso destino era ficarmos juntos
Você não teve reação ficou ali inanimada
Ali sem se mexer fria congelada

E fica agora essa espera
Eu não sei quando você chega
Por favor Gertru não demora não
Não maltrata esse meu pequeno coração

Eu sabia que não seria logo que eu te veria
Mas por que tanta demora
Venha logo para casa
Mesmo tendo esse teu jeito de ser fria

Eu só espero que seja hoje
Que seja hoje o dia de te receber
Que seja hoje o começo de nossas vidas
O começo do nosso bem querer

terça-feira, 5 de junho de 2012

Amor Existe?



Dez e meia da manhã...

Ela entra na cafeteria que frequenta há anos e senta no mesmo lugar quando pode. Naquela manhã não foi diferente. Sentou-se em seu lugar cativo (como ela chamava), e em sua frente estava o seu antigo amigo Caio.

- Bom dia Caio!

- Bom dia Taciana!

- Avistei você chegando e tomei a liberdade de pedir seu cappuccino com limão Taciana.

- Obrigado meu querido. Falou ela com um sorriso mais parecido com uma tentativa frustrada de transparecer gentileza! Via-se nos seus olhos que estava pensando em algo que a preocupava.

- O que aconteceu Taciana? Algo errado no paraíso? Perguntou Caio já procurando a página do livro que estava lendo antes de Taciana chegar.

Sem relutância responde na hora com um ar de curiosidade e ao mesmo tempo incomodo!

- Vou lhe fazer uma pergunta Caio.

Mexe seu café lentamente... Toma um gole saboreando seu tradicional cappuccino com limão e:

- Você acha que o amor existe Caio?

- Ai, ai... Eu acho que existe! Já senti! Fala Caio convicto de sua resposta.

Rebatendo de imediato Taciana resmunga em baixo tom:

- Que bom... Tem gente que nunca ouviu falar.

Caio continua:

- Uma vez escutei falar que a ciência provou que Deus existe. Partindo dessa afirmação que Deus existe e não podemos vê-lo assim como o Amor, mas podemos senti-lo de alguma maneira, o amor existe ora bolas! Que coisa louca!

Lá vai para o seu gole de café olhando para Taciana que sem levantar a cabeça lendo o jornal e tomando seu café rebate!

- Se vê... Se é tocado... Existe.

Caio continua interrompendo a amiga:

- Mas nem sempre algo que existe pode ser tocado!

- Aí já é outra coisa. Não é?! Você sente fé. É o que eu acho.

Os dois ficam em silêncio lendo suas respectivas páginas, Caio movimenta-se em sua cadeira olhando para Taciana por cima do arco de seus óculos e sem se conter recomeça a conversa.

- Se você sente existe.

Afirmando com a soberania de um rei em posse da palavra de ordem em um julgamento onde estariam presentes Leonardo da Vinci e Donatelo!

Taciana com calma não esboça reação alguma e pausadamente fala:

- O que não toco, não existe para mim. Tenho fé na sua existência! Sinto! Sinto a fé. A fé de sentir e não a fé de tocar.

Mais uma pausa para o café e continua:

- Sei lá. Achismos.

Nesse momento Caio já nem pensa mais em sua leitura, seu café já acabou e sinalizou para o atendente mais uma xícara e continua quase que como defendendo uma tese em bancada:

- Mas sente?

Taciana responde:

- Sinto.

- Então existe! Fala Caio de pronto sem titubear.

- Sabe Caio eu penso assim. Quente e frio. Está-se quente: vivo se está frio morto.

- Então. Sente frio, sente quente, sente ódio, sente amor... Amor existe.

- Caio. O que eu não pego eu não sinto! O que eu vejo não me comove...

- Mas Tacian...

- Garçom um cappuccino com limão para viagem.

- Mas Taci? E o amor? E essa conversa...

- Fica para outro dia. Interrompendo Caio subitamente.

- Mas...

- Eu sinto fome Caio.

- Sente, mas pode tocar a fome? Pode saciar então ela existe!

Antes que Caio acabe sua frase ela já estava saindo da cafeteria, dando as costas em resposta a sua afirmação sem direito a réplica e comentando:

- Se arrependimento matasse.

- Então você sente arrependimento! Não é por que ele não mata que ele não e...

- Por Deus homem...

- A então está pedindo por Deus agora senhori...

- TA BOM! EXISTE! EXISTE TUDO! TUDO EXISTE!

E lá se vai Taciana arrependida de ter começado o assunto com seu amigo Caio.

- Aliás?

- Amizade existe?

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Flagelo.




Você quer o crescimento
Você quer jogar
Você quer tocar
Você quer ganhar a vida eterna

Você está gritando
Você não consegue ter percepção
Se não puder ter um dia agradável no paraíso
Mas não esqueça que eles não podem nada, eles não podem gritar

Esta nação está caindo no abismo
E o mesmo povo não tem medo de seu Deus

E você meu amigo social
Tem no pecado
O orgasmo real
A vida real

E você meu amigo social
Tem no pecado sua lei a tua religião
Você é um mentiroso
Você é um covarde

Só aceita a percepção se puder viver um dia agradável no paraíso

Enquanto esta nação está caindo em um abismo

E esse mesmo povo não tem mais medo do seu Deus

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Silencio a Dentro!



Sólido
Bloco intacto de pedra lascada com o tempo
Umedecida e seca tantas vezes que até perdeu suas contas

Sólido
Peito trancado e sem aviso de reabertura
Agora é silêncio e aprendizado na base de suas observações

Cansado e sólido
Prefere agora manter-se estático
Noite a dentro dia a fora

Sólido e cansado
Agora resta o silêncio
Um olhar vazio a procura de nada

As fichas todas foram gastas
Não reserva mais espaço para tentativas
Não reserva mais esperança

Agora é silencio a fora
Pensamento a dentro
Sem discussão ou ressentimento

terça-feira, 29 de maio de 2012

O Vento o Piano e o Mar.


A brisa lhe acaricia o rosto
Novamente as flores de seu piano dançam embaladas pelo vento e o som das ondas a beira mar
Ele até tenta compor algo e criar um poema que lhe traga alegria
Porém... Sem êxito

A solidão lhe abraça terna sem pedir licença
Enquanto a tarde vai dormindo silenciosa
Para dar lugar à noite a lua e as estrelas
Que formam um tapete iluminado por quase todo o céu

Ele anda lentamente por sua casa
Observando retratos detalhes
Observando de longe a praia que fica prateada com a luz da lua
Seus olhos brilham estão vivos

Ele sabe que tudo passa
Ele sabe que as noites voltarão a ser o que eram
Logo prepara sua cama
Desliga as luzes de sua casa
E sem êxito tenta imprimir aos seus pensamentos o sono
Que parece ter lhe abandonado mais uma vez

Deixando espaço apenas para lembranças
De um futuro que não foi
Um beijo que não deu
De uma vida que não viveu




segunda-feira, 28 de maio de 2012

Efervescência III.


Eis então que a primeira lágrima surge
Anuviando seus olhos que antes eram somente brilho
E rompendo o silêncio com volume esplêndido
Escuta se um grito com tom de ira e dor

Já não contém suas emoções
E aquele que era calmo sereno diante do tempo
Agora esbraveja ensandecido ao mundo
Despejando aos quatro cantos sua dor e solidão

Já não era tempo alguns comentavam aos arredores
No mundo não haveria uma criatura tão equilibrada
Desprovida de dor rancor
Desprovida da saudade

Era então a atração dos ouvidos curiosos
Seus gritos estrondosos agora não sessavam mais
Era o epílogo de uma vida equalizada
A nova era de uma alma perturbada



Fim.




Então é assim!
O que mal começa já chega ao fim!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Viver.


Dedicada a meu amigo Moreli.

Eu sei que esse vazio no teu peito parece não desaparecer jamais
E não quero lhe falar o contrário quem sou eu para julgar tua dor
Mas a verdade é que a vida é assim mesmo e é sem explicação
E às vezes nos ensina dos piores jeitos a menor das lições

Eu compreendo que tuas lágrimas são de uma saudade sem fim
E que o tempo que prometia te curar não se habilitou a te encontrar
Mas entenda que é esse o ciclo que nos propusemos a viver todos os dias
E cabe a você decidir se vai viver na tristeza ou na alegria

Pense bem em como seria se todos se deixassem vencer pela dor
Pense bem se todos se deixassem ser vencidos pela tristeza
E a riqueza dos dias que continuam passando ali despercebidas
E você amargurando cada vez mais a sua vida

Não eu não te peço para que viva de sorrisos e seja eternamente positivo
Também não desejo que sua vida seja uma estrada íngreme e sofrida
Porém para tudo nessa andança que vivemos existe um contra peso
E lhe garanto que não sou apenas eu que lhe quer bem

Apenas pare um pouco abaixe as tuas armas e permita-se sorrir
Não dificulte o sol que o sol venha a te iluminar
Pois é você e só você o responsável por sua vida
E é somente você nesse momento que pode lhe salvar

Então levante essa cabeça e abra bem os seus olhos
Abra os seus braços se expondo ao sol e quem sabe a chuva para se lembrar
Que esse rosto já foi um dia de uma simples criança
Que só pensava em alegria e em poder amar

Agora me vou e deixo aqui o meu abraço fraterno
Não te esqueças de que sempre poderá contar com alguém
Não é vergonha recorrer a aqueles que te amam
E que o importante nessa vida mesmo é viver




sexta-feira, 11 de maio de 2012

A herança de Hitler




O que me espanta não é a crueldade e a falta de humanidade de sua ideologia!
O que me espanta, entristece e dilacera meu coração é ver que até hoje ela ainda permanece viva!




quinta-feira, 10 de maio de 2012

Última Sacada.




Indico para vóismicê o blog da amiga internética Sassa!
Tem poemas bem bacanas!
Pelo menos eu curti demais!!!
Agradou-me a cuca!!!!

http://ultimasacada.blogspot.com.br/ (É preciso copiar o link e colar por que o deu na telha aqui continua totalmente incrédulo quanto a postar links em vossa face internética!)

Parabéns Sassa!!!


Efervecência II.




Sente que algo esta errado
Em meio a toda aquela calmaria
Não entende o que poderia estar acontecendo

Ele que estava se sentindo tão equalizado
Agora sentia seu peito queimar
Seus olhos arderem
Sentia novamente o desejo de gritar ao mundo sobre sua existência

Sentou-se calmo no sofá
Fitou com o azul de seus olhos uma foto antiga de quando era criança
Mirou o chão empoeirado acalmando o indomesticável
E calmamente volta a cantarolar sua ciranda em baixo tom

Por enquanto contém a fúria
Por hora mantém o decoro dos seus sentimentos
Por hora está tranquilo
Por hora

terça-feira, 8 de maio de 2012

Mudança.

Dedicado a minha pequena e destemida DRAGUINHA DE PLANTÃO.

As pessoas mudam.

Esteja certo disso.

As pessoas podem lhe impressionar.

Você que acredita que uma pessoa não pode se moldar novamente para melhor, assumindo erros, evitando os mesmos e dando o seu melhor para tornar-se uma pessoa diferente.

Cuidado.

Um dia essa certeza pode cair por terra e a vida lhe ensinar a duras penas que VOCÊ pode mudar e tornar-se uma pessoa mais positiva, mais tolerante, mais paciente, mais carinhosa, até mesmo mais amorosa. Não esqueça que a vida ensina e usa como tutor o amigo tempo e esse sim é responsável pelo milagre da mudança positiva, responsável pelo real e inevitável aprendizado.

Sim.

As pessoas podem mudar para pior.

Infelizmente temos que admitir que a matemática da mudança nem sempre é positiva e as vezes nos esbarramos pelos caminhos que percorremos com pessoas que já foram coloridas, cheias de vida, positivas e no entanto, tornaram-se apagadas, frias e sem a menor esperança para com as vidas que levam.

Para elas devemos desejar apenas uma boa sorte. Devemos lhes desejar que o tempo seja breve, gentil, acolhedor... Sereno...
Devemos esperar que o tempo ensine sutilmente a ter novamente o sorriso no rosto e o gosto pela vida como outrora sentia sedento por momentos de aprendizados e desafios.

Mas quando encontramos uma pessoa que muda para melhor, nossos olhos se enchem de alegria, orgulho e leveza, como quem grita aos quatro cantos:

- Supimpa! Maravilha! Para o beleléu com o negativismo e seus parceiros maquiavélicos!

Nessa hora o mundo pulsa mais forte.
Nesse momento a energia da felicidade emana para todos os lados e aí sim... Aí podemos encher o peito de esperança e acreditar na mudança para o melhor! Acreditar no RECOMEÇO, na PERSISTÊNCIA.

Aliás, vale lembrar, que não devemos menosprezar alguém que se propõem a ser diferente, trilhar outros caminhos ou que a vida lhe tenha causado mudanças simplesmente pelo curso natural do pai tempo.

Por quê?

Por que o tempo passa, a vida acontece e as pessoas vivem e viver é a grande brincadeira é o grande barato morou? Quando você fecha o olho "Puff"... Passou... Mudou... Não volta mais. Pelo bem ou pelo o mal a vida segue.
Cintilante ou não ela vai seguir e não desiste, ela não se amedronta. Ela vai conduzir você como você pintar a caminhada. Triste, alegre, disposto ou cansado.

Enfim...

Cabe a você saber qual o caminho que vai trilhar.
Sendo assim, quem garante que você não seja a pessoa cinza sem vida que será encontrada na próxima esquina, do próximo ano, no mesmo dia e horário que encontrou o dito ou a dita em questão no momento!

No caso, só nos resta que sejamos positivos e esperar que a vida nos sorria com surpresas boas e proporcionar uma energia pura, limpa para que ela possa nos cobrir com toda a sua alegria com toda a sua parcela de bondade.

Sejamos positivos!

Simples.

Vejamos a mudança com bons olhos.

Afinal...

Não custa nada mesmo.

Bela Berlinda.


Caiu o muro
Atravessam livros e garrafas de cola e sodas
Onde a cultura é levada tão a sério
E de tão sério então se fez proibida

Caiu o muro
O absurdo é ver que o mesmo ainda está lá
Batendo continência a estrela e o penar
A indulgência displicência e o odiar

Caiu o muro
E o sussurro quebra o gelo em um segundo
Veem-se desnudos quase eunucos e sem rumos
Servidos crus ao frio do aço e do desdém

Surgiu a liberdade
Escarrada pelas faces pálidas sem nomes
Gritada pelas britadeiras e os martelos
A foice cega mal consegue esboçar algo que não seja ódio ao invés de paz

Chegou à igualdade
É inevitável para o mesmo agasalho que protege toda uma nação
Secar a lágrima antes que esta toque a neve
e venha a erguer um muro de lamentações

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Ode ao Vento.



Analisando suas qualidades e seus defeitos
Perambulando insatisfeito
Indaga o vento cansado
Às areias a beira mar

Qual seria o seu defeito
O que teria ele de errado
Ele um tanto quanto avoado
Que as vezes nervoso claro

Sem querer derruba árvores casas postes
Porém na maior parte de seu tempo
Quase sempre moleque
Venta nossos rostos e cabelos com suas danças inusitadas

Teria então ele a pior das sortes
Ser um anjo que destrói
Que acaricia e também é amigo
Nunca em sua existência poder realmente ser visto

Deixando-nos curiosos
Muitas vezes até medrosos
Em nossas casas a sós
Escutando apenas como assinatura entre as frestas das janelas
O lamento de sua voz

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Amizades & Amizades.



Então vamos lá!
Há tempos não escrevia um texto para o Deu Na Telha.
Mas hoje não tem como deixar de lado esse assunto maravilhoso!
Estava eu fazendo minha mudança, (que, diga-se de passagem, foi exaustiva), e aparecem os meus vizinhos para me dar à famosas boas-vindas. Já na hora que apareceram eu estava na fase do desencaixotar as coisas, parei o que estava fazendo e fui conversar com eles.
Tive uma recepção maravilhosa, com muita educação e senti na hora que os conheci que o convívio seria muito bom.
Eu já não sou lá de muitas firulas e logo surgiu uma amizade entre a gente muito boa! Diga-se de passagem: Uma amizade sincera, solícita e totalmente positiva!
E foi dessa amizade que surgiu a inspiração para o texto que vou postar!
Isso mesmo. Essa não era nem a introdução.
A gente começou a conversar sobre amizades!
E lá se vai a minha opinião sobre o assunto:

Amizades & Amizades.

Na intensidade da entrega que temos em tudo que fazemos não nos damos conta do quanto nos envolvemos e logo nos encontramos totalmente entregues para algumas pessoas em nossas vidas.
Na maioria das vezes essas entregas não duram muito tempo. Desgastam-se com fofocas, atitudes ríspidas ou até mesmo desinteresse.

O que acontece e penso muito nisso, inclusive discuti isso com um amigo que fiz há pouco tempo sobre a intensidade da amizade!
Se eu conheço alguém e tenho simpatia no ato que estou sendo apresentado para o mesmo, por que não me entregar de corpo e alma a uma amizade que desde o primeiro segundo me soou como algo bom, sincero e feliz?
Logo então até que me provem ao contrário o que eu faço mesmo é entregar-me sem medo de sofrer com supostas mágoas. Isso é coisa para o futuro se assim ele quiser que aconteça!

É obvio que já me encontrei triste com acontecimentos envolvendo meus amigos, mas digo e repito que não arrependo-me de absolutamente nada que eu tenha vivido no que diz respeito a minhas amizades. Levando em consideração que sempre, (a não ser que eu não vá com a cara do santo da pessoa), que conheço alguém já ofereço-me a fazer favores e já coloco a pessoa na lista de amados ou amadas.

Afinal. Do que adianta vivermos nesse mundo cada vez mais metalizado, frio e sem sentimento se os poucos de nós que sobraram com algo bom para doar não se disponibilizarem a viver o que chamam de espontaneidade e simplesmente correr o risco de sermos infelizes sim, mas, por outro lado podemos correr o risco de sermos felizes acompanhados de amigos irmãos que podemos vir a amar e sermos amados de maneira recíproca e maravilhosa!

Eu corro o risco sempre.

Quebro a cara algumas vezes, mas eu corro o risco!

E você?

Faz o que?